sábado, 8 de março de 2014

Dia Internacional da Mulher

COMO TUDO COMEÇOU...


O dia 8 de março é, desde 1975, comemorado pela ONU como Dia Internacional da Mulher, para lembrar as conquistas sociais, políticas e económicas das mulheres. As lutas das mulheres por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto, aconteceram quase ao mesmo tempo em todo o mundo.


Operárias têxteis em greve
A 8 de março, do ano de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve e ocuparam a fábrica, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias, que recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica onde, entretanto, deflagrava um incêndio e cerca de 130 mulheres morreram queimadas.

Em 1908, mais de 14 000 marcharam pelas ruas de Nova Iorque reivindicando o mesmo que as operárias no ano de 1857, assim como o direito de voto. Caminhavam com o slogan Pão e Rosas, em que o pão simbolizava a estabilidade económica e as rosas uma melhor qualidade de vida.

Se, nos nossos dias, perante a lei da maioria dos países, não existe qualquer diferença entre um homem e uma mulher, na prática ainda perduram muitos preconceitos em relação ao papel da mulher na sociedade. Resultado de uma mentalidade ancestral, ficava ao homem mal assumir os trabalhos domésticos, o que implicava para a mulher que exercia uma profissão fora do lar a duplicação do seu trabalho. Foi necessário esperar pelas últimas décadas do século XX para que o homem passasse, aos poucos, a colaborar nas tarefas caseiras.

Mas, se no âmbito familiar se assiste a uma mudança, na sociedade em geral a situação da mulher está ainda sujeita a velhas mentalidades.
 
“A igualdade entre mulheres e homens é um objetivo social em si mesmo, essencial a uma vivência plena da cidadania, constituindo um pré-requisito para se alcançar uma sociedade mais moderna, justa e equitativa”.


Para comemorar este dia, a Biblioteca escolheu um poema de Florbela Espanca, que retrata a ternura e um desejo de felicidade e plenitude que é comum a todas as mulheres.




Os versos que te fiz

Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que a minha boca tem pra te dizer!
São talhados em mármore de Paros
Cinzelados por mim pra te oferecer.

Têm dolência de veludos caros,
São como sedas pálidas a arder...
Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que foram feitos pra te endoidecer!

Mas, meu Amor, eu não tos digo ainda...
Que a boca da mulher é sempre linda
Se dentro guarda um verso que não diz!

Amo-te tanto! E nunca te beijei...
E nesse beijo, Amor, que eu te não dei
Guardo os versos mais lindos que te fiz!

Sem comentários:

Enviar um comentário